Cenários

Guiné - Teatro de Operações

O papel dos vários grupos na guerra

A presença portuguesa na Guiné foi sempre fraca dado o seu pouco interesse económico e a insalubridade do clima.

A administração colonial executiva foi entregue aos cabo-verdianos, o comércio estava nas mãos das comunidades libanesa e síria e os poucos portugueses trabalhavam como quadros da administração ou ao serviço das grandes empresas, em especial da CUF (Casa Gouveia).

Os Guineenses, divididos por ancestrais conflitos, dedicavam-se à agricultura de subsistência nas bolanhas ou a trabalhos indiferenciados de apanha de produtos agrícolas para as grandes empresas.

Foi nestas massas que o PAIGC recrutou os seus militantes e combatentes.

Arquivos Históricos

Lugares de Abril

Curso História Contemporânea

Roteiro Didático e Pedagógico

Base Dados Históricos

Site A25A

Centro de Documentação

Arquivo RTP

Cadernos 25 Abril

Filmes e Documentários

Arquivos Históricos

© 2020 – Associação 25 de Abril