Cenários

Moçambique - Meio Físico - Humano - Económico

Meio humano

A população total de Moçambique passou de 6 603 651, em 1960, para 8 168 933, em 1970, o que representa o crescimento aproximado de 25 por cento.
Em 1960, a população branca era de 97 268 pessoas. À data da independência, calcula-se em 200 000 os portugueses europeus e seus descendentes, que eram na maior parte funcionários do Governo ou de grandes companhias e grupos económicos nacionais ou internacionais.
Os brancos eram menos numerosos do que em Angola, embora durante os anos da guerra tenha aumentado o número de colonos dedicados à agricultura e ao pequeno comércio.
A comunidade indiana, que praticamente não existia em Angola, desempenhava actividades tradicionais ligadas ao comércio. Calcula-se que seriam entre 20 000 a 30 000.
Existia uma pequena comunidade chinesa em Moçambique, de cerca de 4 000 pessoas, concentrada em Lourenço Marques e na Beira, que se dedicava também ao pequeno comércio.
Os negros dividiam-se em dez grandes grupos étnicos, por vezes com ligações transfronteiriças, e constituíam quase 98 por cento dos habitantes.
A população mista representava apenas cerca de meio por cento do total.
Em Moçambique, a islamização conheceu, na década de 1960, progressivo alastramento. Este fenómeno era muito visível junto dos Macúas, na linha ilha de Moçambique – Nampula – Nova Freixo – Catur.

Arquivos Históricos

Lugares de Abril

Curso História Contemporânea

Roteiro Didático e Pedagógico

Base Dados Históricos

Site A25A

Centro de Documentação

Arquivo RTP

Cadernos 25 Abril

Filmes e Documentários

Arquivos Históricos

© 2020 – Associação 25 de Abril