Operações

Acções de Guerrilha e Contra-Guerrilha

Guerrilha e contraguerrilha

O confronto armado entre Portugal e os movimentos de libertação de Angola, Guiné e Moçambique desenrolou-se no quadro que as doutrinas militares e políticas ocidentais classificam de actos violentos da «luta subversiva», nelas incluindo não apenas as suas acções militares típicas, mas também operações tácticas de grande envergadura em ambiente de guerrilha.

Embora de um lado se encontrasse um exército regular e do outro guerrilheiros, na prática ambos os contendores acabaram por realizar o mesmo tipo de acções. Pode, no entanto, dizer-se que a actividade militar destes últimos tentou atingir os seus objectivos principalmente através da interdição de vias de comunicação, ataques a aquartelamentos e emboscadas. Utilizou com frequência e intensidade minas de todos os tipos, e as emboscadas foram principalmente dirigidas contra colunas de viaturas ou patrulhas apeadas. Para o final da guerra, levou a cabo ataques de maior envergadura, como foram os assaltos coordenados às posições de Guidage e Guilege, uma no norte e outra no sul da Guiné.

As acções militares da contraguerrilha efectuadas pelas forças portuguesas, embora se considerasse que podiam resumir-se a adoptar táctica semelhante à da guerrilha, foram sobretudo condicionadas pela maior ou menor capacidade de resistência dos militares ao terreno e ao clima. Por isso, as operações mais vulgares foram quase sempre de curta duração, raramente excedendo os quatro dias e levadas a efeito por unidades de tipo pelotão/grupo de combate de trinta homens ou, mais raramente, por uma companhia reduzida (três grupos de combate), que actuava dentro de uma área à sua responsabilidade, a zona de acção (ZA).
Por norma, estas operações constavam de um plano de actividade operacional (PAO), e podiam ser dos seguintes tipos:

– Defesa de pontos sensíveis;
– Protecção de itinerários;
– Patrulhamentos (nomadização);
– Batida (com eventual apoio numa acção de cerco);
– Limpeza de povoação;
– Golpe de mão;
– Emboscada;
– Interdição de fronteira.

Arquivos Históricos

Lugares de Abril

Curso História Contemporânea

Roteiro Didático e Pedagógico

Base Dados Históricos

Site A25A

Centro de Documentação

Arquivo RTP

Cadernos 25 Abril

Filmes e Documentários

Arquivos Históricos

© 2020 – Associação 25 de Abril