31/01/1961 -

Apresentação do documento “Programa para a Democratização da República”.

O primeiro signatário do documento foi Mário de Azevedo Gomes, sendo assinado por mais de meia centena de individualidades liberais e democráticas. Foi redigido por Mário Soares, José Ribeiro dos Santos, Francisco Ramos da Costa e Piteira Santos.

Pretendia definir “uma política coerente de centro-esquerda” e dar a conhecer “uma linha de pensamento de estilo europeu”, desmentindo assim o velho dilema absurdo da propaganda oficial, de
que as únicas alternativas seriam “o comunismo ou o caos”.

Todos os signatários foram posteriormente incriminados, mas viriam a ser abrangidos por uma amnistia.

Quanto à questão colonial o documento retomava velhas posições liberais: “Promover-se-á como condição de desenvolvimento económico a eliminação das barreiras alfandegárias entre e Metrópole e o Ultramar (…) por forma a assegurar-se a livre circulação de pessoas e mercadorias.”