18/03/1961 -

Início da actuação da Força Aérea no Norte de Angola.

Tal como aconteceu com o Exército, em 1961 eram muito escassos os meios da Força Aérea em Angola. Dispunha apenas em Luanda de alguns Douglas C-47 para transporte interno e Lockheed
PV-2 Harpoon para vigilância marítima, estacionados no mesmo campo de aviação que funcionava como aeroporto civil e campo de aviação militar.

Foi com os PV-2, um avião de patrulha marítima e luta anti-submarina adaptado a bombardeiro, que a Força Aérea atacou os camponeses que se tinham rebelado, em Janeiro de 1961, na Baixa do Cassange e foram estes aviões os primeiros a entrar em acção no Norte de Angola.

Nos dias seguintes aos massacres nos Dembos, enquanto as milícias de colonos brancos tentavam resistir na zona afectada, o pouco pessoal do Destacamento da FAP estacionado em Luanda começou a equipar os aviões civis com suportes para bombas, e requisitou vários Piper Cubs, Austers e Voyagers dos aeroclubes e de pilotos privados, que constituíram as Formações Aéreas Voluntárias (FAV) 201, baseadas em Luanda. Nos dias após o choque causado pela acção da UPA, estas aeronaves fizeram grande número de saídas em apoio a várias localidades e fazendas, durante as quais era frequente as tripulações lançarem granadas de mão pelas janelas por não terem outras armas.

O Grupo 901 – Angola

A primeira unidade aérea constituída em Angola foi a Esquadra 91, que reuniu os seis aviões PV-2 destacados da Base Aérea 6, do Montijo. Posteriormente foi criada a Esquadra 92 com seis aviões de transporte geral Noratlas adquiridos à empresa francesa UAT, que os operava nos Camarões.

As esquadras 91 e 92 foram reunidas para constituírem o Grupo 901 que, sob o comando do tenente-coronel Diogo Neto, fez face ao primeiro embate do início da guerra. Os PV-2 realizaram reconhecimentos armados, protecção a populações cercadas e apoio a colunas militares e os Noratlas realizaram operações de reabastecimento e transporte.

Em Julho de 1961 chegaram a Luanda os primeiros aviões caças-bombardeiros a jacto F-84 Thunderjet que constituíram a Esquadra 93 e, por fim, foi criada a Esquadra 94, com helicópteros.

Municiamento de avião PV-2 na Base Aérea de Luanda. [AHM]